domingo, 3 de julho de 2011

De costas a você

Deve ser a hora de deixa-lo ir, pois já o sinto longe; cuidei de você o quanto pude, tentei protege-lo de todos e até de mim mesma. Você não sabe o quanto é difícil fazer isto, virar as costas a quem dediquei vida e alma para ver bem, mas se eu não o fizer você se sentirá obrigado a estar junto a mim por gratidão. Você tem caráter demais para simplesmente ir, por isso vou eu. Amo-o demais para deixa-lo nesta gaiola de moralidade.  Vou andando carregando o corpo pesado que não deseja sair de sua órbita, vou devagar para que você não note e tente me impedir. Quando perceber, já estarei longe demais para o ouvir chamar-me de volta. Você não precisa mais de um anjo da guarda e sim aprender valores sozinho. Eu o protegi por ama-lo e você me amou por comodidade, só você não sabe disso.

Giulia Campanha

4 comentários:

Carol disse...

Super tocante

Anônimo disse...

aeeeeeeeeeeeee! voltou a escrever no blog =)!Ja estava pensando que tinha abandonado-o

Lillo Dogmez, o licantropo. disse...

TERMINAR UMA RELAÇÃO É SEMPRE MUITO DURA E COMPLICADA. MAS VC SOUBE FAZER DISSO UMA BELA CRÔNICA. PARABÉNS.

TEM POSTAGEM NOVA NO BLOG, PASSA LÁ.
http://thebigdogtales.blogspot.com/

Rock disse...

Aqui tem belos textos mesmo, mais um que vou salvar.