segunda-feira, 23 de maio de 2011

Eu sei o desfecho

Essa nossa história que me aflige e me confunde, cheia de vírgulas que me permitem pequenos suspiros enquanto fico a espera de um ponto final. Você muda, distorce e retorce os fatos fazendo do meu personagem a fonte de todo drama. Esse seu humor negro que brinca e se diverte com tanto sentimento faz com que nessa nossa história haja uma sátira ao amor escrita nas estrelinhas, há sempre o tolo que se entrega a um verbo não correspondido e o realista que enfatiza o quanto amar se tornou um verbo comum e característico de um sujeito perdido que vaga iludido. Pode achar que estou iniciando um novo capítulo dramático, mas a verdade é que estou acabando com todo o suspense ao dizer que sei o final de tudo: você terá se divertido e eu terei me tornado seu reflexo, alguém inseguro ao ponto de ser incapaz de recomeçar e aceitar que faz bem viver com o amor. Saí ferida tão profundamente que me tornei aquilo que eu não gostava em você e talvez faça isso com alguém, tornando tudo um ciclo vicioso. Amores correspondidos são impossíveis e os possíveis são desvalorizados.

Giulia Campanha

6 comentários:

Carol disse...

Ótimo texto. Ótima crítica. Amei!

Rubi disse...

HAHAHAHA A imagem ficou ótima. É bem isso que acontece mesmo.

Niko disse...

Pois é, seria cômico se não fosse trágico ... ;p

Rejane disse...

Uol!
Mto bom o texto. A imagem então, nem se fala.
Uma forma criativa de analisar gramatica e sentimentalmente uma das frases mais corriqueiras do mundo. Tão corriqueiras que está perdendo o valor.

Gostei!

Vou nessa,
Abraços!

http://cafeeagua.blogspot.com
http://redutonegativo.blogspot.com

Anjo Noturno disse...

Uma imagem diz td rs...
E ainda dizem pra dar a valor e quem nos dá, mas o facil parece não ter muita graça não éh?
;)
Espero sua vsita na minha pág tbm...
http://estigmaangel.blogspot.com/

Cícero Barbosa disse...

concordo contigo!