segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

limite da verdade com a mentira

Os sinceros não são maus, o que acontece é que a realidade é ruim e quem diz muitas verdades parece ser cruel. Para muitos mais vale uma doce mentira do que uma verdade amarga, mas até onde a doce mentira continua inofensiva e até onde a amarga verdade pode ser evitada? Os diferentes conceitos sobre os limites entre inofensivo e dispensável causam dores e rancores já que muitas pessoas preferem a dura realidade a mais perfeita ilusão. Seja quem for que se diz com a razão, o que preferia saber da verdade ou o que escolheu esconder algo para proteger, não há certo e errado até o limite ser descoberto, decifrado. Convém tentar achar o limite que se encaixe no hábito social, mas isso até encontrarem um equilíbrio entre razão (verdade que assusta) e o coração (mentira de quem tenta poupar alguém).

Giulia Campanha

 

7 comentários:

Jessica B disse...

Falou tudo, Gi!

Fernanda disse...

Tem post novo no meu blog.

Infelizmente não é um post divertido, mas é uma lição de vida dada por um menininho de nove anos.

Se quiser, passa lá para homenageá-lo. Bjsss

Amores Cruzados disse...

Acho que isso foi meio que pra mim. sou muito verdadeira, e sempre falo tudo que acho e se ta errado com a pessoa. acontece que meus amigos as vezes se irrita, tento segurar... mas acaba saindo*-*
seguindo!

Carol disse...

Concordo em tudo o que você disse Juju!Amei principalmente o final, tá super de parabéns, como sempre né hahaha <3

paradigmas universal disse...

50% de chances de sua verdade ser mentira.

Tati disse...

Contrariando Cazuza: "mentiras sinceras não me interessam...

Dalyla Carvalho disse...

discordo em algumas partes, mas em geral é um texto legal. :)