domingo, 26 de dezembro de 2010

Saudade é o amor que fica

Esses fantasmas, essas lembranças que nos rodeiam e nos enchem de felicidade, anseios ou saudades. É essa dor que nos parte fundo o peito e que nos faz ficar de mal com o tempo, essa dor chamada saudade que ninguém ainda descobriu ao certo o que significa. Tem saudade gostosa que nos entorpece ao darmos de cara com nossos bons fantasmas; tem saudade que começa dolorida que depois alivia, mas jamais deixa de arder o coração, é a saudade de quem por você passou e inconformado com a partida deste você, em segredo, anseia pela volta; tem saudade daquele momento bom que deixa o presente tedioso, é a saudade que engana, faz com que você pense que jamais algo será melhor ou igual à antes. Não importa o tipo de saudade, no final é só o amor que fica de algo ou alguém ou algum momento que não fazem mais parte da sua realidade, somente os fantasmas.


Giulia Campanha

5 comentários:

Jou Jou Balangandã disse...

Sentir saudade é coisa de canceriano(a). Você sabe seu ascendente?

Bjous

Ju

Luís Paulo disse...

Texto super simplório, mas muito profundo e muito real. Gostei da sua filosofia em relação à saudade, Gi. Uma definição bem bacana. E a foto também, da garota no mar com aquele tempo “lindo”. Parabéns, beijos!

Mister Neurotic disse...

Não gosto do amor, muito menos da saudade. Você é perfeita.

Carol disse...

Mas que novidade eu amar seus textos heim. Ainda mais esse falando de saudade haha

Maria Paula disse...

Extremamente lindo... Tem saudade gostosa, e tem outras que torturam: essa é quando sentimos saudade de quem já se foi.